O dia das aromáticas

Casa nova, jardim de novo. Hoje foi o dia de recomeçar o jardim de aromáticas.

Agora temos mais espaço e, por isso, é necessário planear bem. Um das coisas que aprendemos é a não nos iludirmos com o tamanho das pequenas plantas que trazemos de um viveiro. A maior parte delas, irá crescer mais do que poderíamos imaginar. É necessário deixar espaço entre elas, para que possam crescer à vontade.

No inicio parece muito vazio, mas irão crescer, ladeando o passeio, na companhia das árvores de fruto.

Imagem

Passeio das Aromáticas

Sálvias, Santolinas e Mentas, são algumas das novas residentes.

Santolina Verde

Santolina Verde

Sálvia Tricolor

Sálvia Tricolor

Segurelha

Segurelha

Hortelã da Ribeira

Hortelã da Ribeira

Arruda

Arruda

Manjericão

Manjericão

Lúcia lima

Lúcia lima

Para começar, já podemos encontrar: sálvia verde, sálvia tricolor, sálvia icterina, sálvia roxa, menta laranja, menta chocolate, hortelão da ribeira, hortelã marroquina, poejo, segurelha, manjericão, arruda, lúcia-lima, incenso, oregãos, tomilho, tomilho rasteiro, santolina, santolina verde, açafrão e estragão.

Faltam muitas outras, mas com o tempo lá chegarão.

 

 

Publicado em Aromáticas | Etiquetas , | Deixe o seu comentário

A azáfama da primavera

Finalmente o bom tempo. Mas a primavera traz muitas outras coisas mais.

Como vai chovendo de vez em quando e o sol aquece o dia, as ervas crescem a uma velocidade estonteante. Cortamos hoje e amanhã já lá estão outras à nossa espera. Mas não são só ervas, as árvores de fruto estão todas em flor, as árvores de folha caduca estão a dar folhas com toda a força. De repente, tudo é verde à nossa volta. As flores silvestres explodem por todo o lado.

Campo lavrado

Campo lavrado

Mas não é tudo. Começam a ouvir-se tratores a trabalhar todo o dia. Os campos aparecem lavrados. Em cada casa se planta o cebolo e se prepara a terra para o milho. As hortas começam a ser limpas, para receberam os tomates, os pimentos e as alfaces. Os carreiros de feijão já se começam a ver semeados. A batata, semeada no final do inverno, já está grande e começa a dar flor. As vinhas já rebentaram e nascem folhas todos os dias.

É a azáfama da primavera !

E por cá não é diferente.

As favas já têm as vagens a crescer bem. Em breve poderemos colher. Os alhos, semeados no inverno, estão grandes e quase prontos. O cebolo de inverno convive agora com o cebolo da primavera, que já plantamos.

Favas

Favas

DSCN4747

Cebolo

Plantamos também couves galegas, pencas, repolho, alho francês e alfaces variadas.

Entretanto, a estufa crescem alfaces e feijão verde rasteiro. Fazem-se novas sementeiras de alface, para transplantar daqui a algumas semanas.

Alfaces

Alfaces

Feijão verde rasteiro

Feijão verde rasteiro

DSCN4743

Sementeira de Alfaces

Os tomates, pimentos, pepinos, curgetes, beringelas e melões, criam-se na estufa, à espera que o tempo quente permita a plantação no exterior. São plantas que requerem calor.

Por tudo isto, é bom viver no campo!

Macieira em flor

Macieira em flor

Publicado em Terreno | Etiquetas | Deixe o seu comentário

O tomate seco

O tomate seco é considerado uma iguaria. Não é ainda muito habitual na nossa cozinha, mas vai tendo cada vez mais adeptos.
Em 2013 começamos a nossa produção experimental e em 2014 iremos produzir para venda.

Nesta foto podemos ver alguns dos tomates cereja secos. Desde os amarelos até aos negros. Uns pequenos bombons.

image

Dependendo das condições atmosféricas, durante os meses de produção de tomate, poderemos secar ao sol ou em desidratadores. Tanto um método como outro, produzem bom tomate seco. Na verdade, a qualidade depende do tomate, da sua frescura, do seu sabor e textura. E isso é coisa que não falta aos tomates da Horta do Sol.

O tomate negro fatiado revelou-se uma delícia..

image

À simplicidade  do tomate seco, podemos adicionar uma gota de limão, um pouco de sal ou ainda ervas aromaticas, obtendo resultados diferentes. O limite é a imaginação.

Não deixe de provar o tomate seco.
Iremos disponibilizar alguma receitas para o inspirar. Se já tiver as suas receitas e quiser partilhar conosco, envie-nos e publicaremos aqui.

Publicado em Conservas, Tomates | Etiquetas | Deixe o seu comentário

O inverno na Horta do Sol

À falta de sol, vamos fazendo algumas culturas de inverno, na horta.

O novembro é um bom mês para plantar cebolo de inverno, ou “de cedo”, como também é conhecido.

Para além do cebolo, semeamos alho e favas, para consumo em casa. Algumas culturas de inverno não necessitam de grande trato. Desde que se adube bem a terra, antes de plantar e semear, a Natureza faz o resto. Não é necessário regar porque a chuva é mais do que suficiente e não é necessário mondar, porque o frio não permite que cresçam muitas ervas. Logo, basta esperar pelas colheitas.

cebolo

Na Horta do Sol produzimos tomates e pimentos, mas apenas no verão. Este ano vamos introduzir beringelas e pepinos, para experimentar.

Em Portugal, ou pelo menos na região norte, não se pratica muito a diversidade nos produtos hortícolas. Na fruta já se encontra muita variedade diferente, principalmente com a maçã. Mas nas hortícolas, isso não se vê.

Por exemplo, o tomate aparece apenas com uma variedade de tomate cereja e duas ou três variedades de tomate para salada ou cozinhados. Com os pimentos acontece o mesmo, o verde, o vermelho, o amarelo e o laranja, e pouco mais. Em alguns supermercados já é possível encontrar variedades diferentes, mas a preços elevados, normalmente importados e colhidos com muito antecedência.

No caso da beringela e do pepino ainda é mais grave porque apenas se vende uma variedade.  Por isso, decidimos que este ano iríamos dar a conhecer beringelas e pepinos diferentes.

Um das variedades de pepino é o Crystal Apple (Maçã Cristal). É um pepino arredondado, do tamanho de uma mação. É branco, por dentro e por fora, e de sabor fresco e doce. Nem todos os pepinos são verdes e alongados, como os que conhecemos.

applecucumber

Também as beringelas não são todas roxo escuro, existem outras cores. A “Listada de Gandia” é uma das variedades que vamos experimentar, e não é roxa. Tem origem em Espanha e foi introduzida em França por volta de 1850.

Listada_sm

Se a Natureza ajudar, será mais um ano com cores, sabores e novas experiências.

Publicado em Hortículas | Etiquetas , , , | Deixe o seu comentário

A vida de uma curgete

A curgete é muito interessante, cozinhada de várias formas, é muito consumida, hoje em dia.

Lá para fevereiro ou março, semeie em vaso ou tabuleiro, ou, se preferir, aguarde por abril e deite umas sementes à terra.

??????????

Deve usar várias sementes e, quando germinarem, retirar as plantas que estão a mais. Reserve, pelo menos, 1 metro quadrado por cada pé. Pela foto se pode ver que não segui esse conselho e, mais tarde, fui obrigada a retirar algumas para dar espaço às restantes.

Crescem muito rápido. Não dispensam água em abundância.

??????????

??????????

??????????

??????????

Ao contrário das abóboras, a curgete não se espalha pelo terreno. As folhas vão crescendo, formando um grande ramo. As flores são amarelas, quase laranja, muito vivas.

??????????

Os frutos, começam a nascer a partir de algumas flores. Nem todas as flores dão fruto, mas, quando uma flor nasce, já traz consigo uma curgete ou não.

??????????

??????????A curgete nasce a partir do pé e cresce para o céu. Mas algumas ficam presas na ramagem e é necessário estar atento, para que não fiquem muito tortas ou impeçam outras de nascer. O espaço é apertado!

?????????? Depois só é necessário imaginação para as cozinhar.

??????????Deixo aqui uma sugestão. Corte a curgete às rodelas e leve ao forno com um pouco de sal e um fio de azeite. Simples e delicioso.

Publicado em Hortículas | Etiquetas , | Deixe o seu comentário

O que esperamos de 2013

Está na altura de começarmos a olhar para os tomates da Horta do Sol, para 2013.

 Para este ano, mantemos os tomates cereja e tomate médio e grande, mas não teremos tomates tipo Roma. Algumas variedades novas entram este ano, à experiência. A maioria dos tomateiros são produto das sementes produzidas na Horta do Sol.

 Assim, começando no amarelo, temos o Limmony, o Dagma Perfection, já veteranos, e o Spot Yellow. Este último é novo e é uma versão amarela do Fireworks. Amarelo raiado de amarelo e pequenas particulas cinza, muito idêntico ao Fireworks.

03 Spot Yellow

Spot Yellow

Passando ao laranja, alguns são novos por cá, como o Oaxacan Jewel e o Summer Cider. O primeiro é bicolor, conhecido como um dos melhores heirloom, e o segundo é um laranja puro. Outros são já nossos conhecidos, como é o caso do Burracker’s Favourite.

05 Summer Cider

Summer Cider

Do laranja para o vermelho, espera-nos o famoso Coração de Boi, o Cacho, o Howard German, e o Fireworks. Este é um zebrado e será sempre um favorito da Horta do Sol. Um pouco mais rosado, temos o México, à experiência.

Fireworks

Fireworks

Passando agora aos negros, estão plantados o Noire Charbonneuse, o Black from Tula, O Calabash Purple e Cherokee Chocolate. Estes quatro tomates negros têm tonalidades, formas e sabores diferentes.

O Noire Charbonneuse, o Cherokee e o Black from Tula são tomates achatados mas variam na cor. O Charbonneuse é vermelho escuro, o Tula é muito mais escuro que o Charbonneuse e o Cherokee é castanho. Já o Calabash é arroxeado, e todo aos gomos. Qualquer um deles é uma delícia de tomate.

??????????

Calabash Purple

Os verdes são tomates diferentes porque nos causam sempre a dúvida – estará maduro?  O tomate verde tende a ficar amarelado quando fica excessivamente maduro. Mas a maior parte dos tomates verdes comem-se ainda com cor verde.

O Zebra Verde, o Big Zebra e o Berkeley Tie-Dye são zebrados, em tons de verde.

Zebra Verde

Zebra Verde

E, por fim, os zebrados. Já falamos de alguns: o Zebra Verde, o Big Zebra, o Berkeley Tie-Dye e o Fireworks. Mas há mais: o Beauty King,  o Zebra Negro e o Pink Berkeley Tie-Dye. Também são zebrados, com uma combinação de cores deslumbrante. Os zebras são tomates maravilhosos.

06 Beauty King

Beauty King

Mas não podemos esquecer os Tomates Cereja, essas pequenas maravilhas.

Verde, Branco, Amarelo, Laranja, Vermelho, Rosa, Castanho, Negro, e Zebra, são as cores que vamos misturar.

Embalagens de 200gr de tomate cereja misto

Tomate Cereja

Temos apenas uma variedade de tomate verde. De sabor suave e doce, e formato baga. É um tomate cereja com 3cm de comprimento, aproximadamente.

Green Grape

Green Grape

O Snow White é já um clássico. É um tomate de sabor muito suave e que combina com qualquer outro cereja.

Snow White

Snow White

Mantemos os tomates cereja Golden Nugget e Milflores para colorir a salada de amarelo. O Milflores nasce em cachos de dezenas de pequenos tomates, daí o seu nome.

Milfores

Milfores

O Sungold Select II tem um sabor particular, muito tropical. O Amish é um laranja que iremos experimentar este ano. Já sabemos que é rápido a produzir porque começou a florir quando ainda estava nos tabuleiros e já tem frutos, um mês após a plantação na terra.

Sungold Select II

Sungold Select II

Os vermelhos são um presença obrigatória,. Este ano temos um cereja pequeno, 2cm no máximo, e o Mini Chucha. Não se trata do Mini Chucha que é comercializado nos supermercados, mas sim de outra variedade, mais alaranjada.

Mini Chucha

Mini Chucha

Do vermelho ao rosa, é um saltinho. O Rosalita é já uma presença habitual, em formato baga e de cor rosada.

Rosalita

Rosalita

O Negro e o Chocolate são indispensáveis. Um é vermelho escuro, arroxeado, e outro é castanho, chocolate. Ambos deliciosos, difícil de escolher.

Chocolate ou Brown Berry

Chocolate ou Brown Berry

E, porque é uma estrela, não podemos esquecer o famoso Black Zebra Cherry. Zebrado por fora, negro e suculento por dentro – imperdível!

Black Zebra Cherry

Black Zebra Cherry

Os pequenos Tomate Pera também cá andam. Vermelho e amarelo, para misturar a nosso gosto. As crianças apreciam muito este tomate.

Pera Amarelo

Pera Amarelo

A pequena coleção de tomate em 2013, na Horta do Sol.

Esteja atento, chegam com o verão!
Esteja atento, chegam com o verão!
Publicado em Tomates | Etiquetas , , , | Deixe o seu comentário

Preparar o futuro olhando para o passado

Já há algum tempo que a Horta do Sol não publica nada. Chegado o Outono, entramos numa fase mais tranquila.

Após uma colheita muito fraca em 2012, fazem-se as limpezas do terreno e avalia-se a colheita do ano anterior. Afinal, o que correu mal?

Comecemos pelo terreno.

Um espaço não cultivado há já alguns anos. Todos os anos, a vegetação é cortada e deixada a decompor no terreno. Esperava-se que estivesse bastante nutritivo. Mas, será que estava?

 Os tomateiros são plantas extremamente exigentes na sua alimentação, e bastante dados a algumas doenças. A fertilização do solo é fundamental, para que adquiram resistência a essas doenças. Este ano não utilizamos estrume animal, apenas fertilizantes de urtiga e feto, feitos em casa.

O clima.

Todos conhecemos as alterações climáticas dos últimos anos. A Primavera, às vezes é Outono e isso afeta as nossas culturas. Este ano tivemos um tempo bastante quente até final de Março, inicio de Abril. Os tomateiros foram plantados, na esperança de ter uma colheita mais cedo. Só que o Abril e Maio vieram a revelar-se muito frios e húmidos.

Demasiado frio não permite ao tomateiro absorver os nutrientes necessários, entra numa espécie de invernação. Demasiado húmido é bastante favorável ao aparecimento do míldio. E foi isso que aconteceu.

As variedades adequadas ao nosso clima.

Isso é também um ponto importante. Algumas variedades de tomates têm mais dificuldade em adaptar-se ao frio da Primavera e ao forte calor do Verão. Serão necessárias várias gerações de sementes, produzidas localmente, para que possa haver alguma adaptação da planta.

Conclusão.

Se é que pode haver uma conclusão. A possível falta de nutrientes (temos dúvidas), o clima (sem dúvida) e as espécies pouca adaptadas (aplica-se a algumas), combinados, poderão ser os responsáveis pela fraca produção de 2012.

Como correu a sua produçao de tomates em 2012? Quer partilhar?

Publicado em Hortículas, Terreno, Tomates | Etiquetas , , , , | Deixe o seu comentário

Salada de Tomate

A salada de tomate convencional, tem os dias contados.

Não tem que ser sempre vermelha, nem ter sempre o mesmo sabor.

Quando o vermelho é de um tomate Coração de Boi já é uma boa salada, porque é um tomate excelente. Aliás, não é vermelho, é rosa. O tomate Coração de Boi é um excelente Heirloom.

Mas existem milhares de variedades de tomate, porque não experimenta-las?

Salada Tri color e sabor

Nesta salada podemos ver os tomates Zebra Verde, Yellow Brandywine e um Noire Charbonneuse pouco maduro. O conjunto de cores é muito apelativo. Os sabores, posso assegurar, deliciosos. Os três tomates têm sabores distintos.

O Brandywine (amarelo) é aveludado, intenso e tem um toque tropical. O Zebra Verde é mais leve, de sabor suave. O Noire tem um sabor requintado, embora, estando pouco maduro, seja mais  frutado.

Apesar destas variações, o sabor do tomate está lá, nunca se perde.

Podemos dizer que são variações em torno do sabor a tomate.

Salada no prato

O facto dos tomates heirloom terem tanta intensidade de sabor, permite-nos servi-los ao natural e disfrutar de uma roda de sabores diversificados.

Neste prato podemos ver o Dagma Perfection (amarelo), o Arbuznyi (Castanho), o White Queen (branco), o Green Sausage (verde) e Scabitha (vermelho).

Do mais aveludado e tropical ao mais suave e doce, passando pelos ácidos.

Salada de Cores e Sabores

A variedade de cores e sabores surpreende-nos.

Com mais ou menos temperos, conseguimos sempre uma salada muito atrativa.

Neste prato simplesmente temos o Arbuznyi, Big Zebra, Topaz e Scabitha. Cada um com o seu sabor, textura e cor.

Tomate Cereja

E porque não, uma salada de tomate cereja?

 Os tomates cereja são como pequenos bombons de tomate. O seu recheio é o seu sumo e polpa, com sabores surpreendentes.

Um tomate cereja Snow White com um Chocolate faz uma combinação de cores muito agradável e os sabores complementam-se.

Topaz recheado

Com um pouco de imaginação, podemos criar grandes pratos com pequenos pormenores.

Aqui temos um tomate Topaz recheado com azeitona preta e oregãos frescos. Por cima tem um tomate groselha vermelho.

O tomate groselha é muito intenso. No seu pequeno tamanho esconde um sabor concentrado a tomate, muito fresco, com acidez e docura muito equilibradas.

Vá até à horta ou ao mercado mais perto de si e traga um cesto cheio de tomates. Viva novas experiências de cores e sabores.

Cesto

Disfrute das cores e sabores e promova a diversidade dos alimentos. A sua saúde vai agradecer.

Boas saladas!

Publicado em Tomates | Etiquetas , , , , , , , , , | Deixe o seu comentário

A Rúcula

A rúcula é cada vez mais utilizada nas saladas portuguesas, ora simples, ora combinada com a alface.

É simples cultivar a rúcula. Semear, esperar e colher!

As variedades mais conhecidas são a cultivata e a selvática. A cultivata tem folhas maiores. A selvática tem um sabor mais forte. Por isso, é só escolher, conforme o gosto.

Na varanda prepare um vaso grande, de preferência retangular. Semeie a rúcula por meados de maio e aguarde. Mantenha a terra sempre húmida, mas sem encharcar. Assim que começarem a crescer verifique se estão bem distribuídas no vaso. Se tiver algumas  plantas a crescer encavalitadas, o melhor é tirar algumas, para que, as que ficam, possam crescer sem grande concorrência.

Repare que as primeiras folhas da rúcula não se parecem nada com ela. Nesta fase chamamos plântulas em vez de plantas. Só quando nascem as folhas verdadeiras é que reconhecemos a nossa rúcula.

Não requer grandes cuidados e aguenta bem se nos esquecemos de regar. Penso até que se dá melhor com pouca água. Nunca regue demais, deixe a terra secar antes de regar de novo. Isto aplica-se a plantas adultas. Quando está em crescimento deve ter mais cuidados e não deixar secar em demasia.

Quando começarem a ganhar folhas suficientemente grandes para comer, comece a cortar algumas para consumo. Nunca arranque a planta, em vez disso, vá cortando folhas. Desta forma, a planta continua a dar novas folhas e terá rúcula para todo o verão. Porque uma salada exige alguma quantidade de folhas, é importante que o vaso seja grande, mais em área que em profundidade.

A rúcula pode crescer bastante, cerca de 50cm ou mais, mas com essa altura tem tendência a ficar tombada. Quando começa a atingir alguma altura, podem começar a aparecer as flores. Se ainda está no inicio do verão e pretende prolongar o consumo da sua rúcula, corte as hastes que estão a dar flor e a planta continuará a dar folhas.

Ao contrário do que a maioria das pessoas pensa, a rúcula não acaba com o fim do verão. Na Horta do Sol deixamos a rúcula do ano passado no terreno. Apenas aparamos para o inverno. Na primavera, para surpresa nossa, as mesmas plantas começaram a dar novas folhas. Para além disso, as flores do ano anterior, deixaram cair as suas sementes na terra, que agora germinaram e estão a crescer. Assim, voltamos a ter um canteiro farto em rúcula, sem ter que semear de novo.

A flor da rúcula selvática é amarela. Da flor nasce uma vagem muito pequena e, dentro dela, cerca de 20 pequenas sementes.  Se pretende guardar semente para o ano seguinte, arranque a vagem quando ela já está seca, mas antes de abrir. Se deixar secar demais, a vagem abre, e as sementes caem na terra. Se a vagem estiver ainda verde, as sementes ainda não têm maturidade para serem guardadas.

Após colher as vagens, abra-as cuidadosamente e retire as sementes, que são escuras e muito pequenas, do tamanho de grãos de areia. Guarde-as num saco plástico ou papel de alumínio, para proteger da humidade e conserve-as em local escuro.

No próximo ano, por meados de maio, repita o processo.

Boas saladas!

Publicado em Aromáticas, Condimentares, Jardim | Etiquetas , , | 2 Comentários

Alguns tomates em 2012

A época 2012 tem sido muito difícil na Horta do Sol. O míldio e outras doenças tomaram conta de muitas plantas e a nossa produção está a ser muito inferior ao esperado.

As plantas que resistiram estão a dar os seus frutos, mas ainda em pouca quantidade.

Ficam aqui fotos de alguns tomates:

Dagma Perfection

White Queen

 

Green Sausage

Purple Russian – siameses

Arbuznyi

 

Publicado em Tomates | Etiquetas , , , , , | 1 Comentário