A mosca da fruta

No pomar de macieiras, já o trabalho começou há muito. Primeiro com a poda, que se fez ainda com o frio de inverno. E depois a pulverização das árvores com calda bordalesa, para prevenção de inúmeras doenças.  Agora chegou a vez de colocar as armadilhas para a mosca da fruta.

Como são muitas árvores, a maior dificuldade é arranjar garrafas que cheguem. Para isso, andamos a angariar durante o ano. Garrafas transparentes de 1,5L ou 2L, de água ou refrigerantes. As garrafas verdes não são eficazes. Fazem-se quatro furos nas garrafas, na parte superior. Ata-se um fio ao gargalo e enche-se até aos furos com um líquido atrativo para as moscas. As moscas entram pelos furos e não conseguem sair mais.

Cerveja como isco funciona muito bem

Moscas apanhadas na armadilha

O isco também varia. Usamos cerveja, água de cozer bacalhau e vamos experimentar sumos de fruta.

Isco de cerveja

Isco de cerveja

Isco de água de cozer bacalhau com restos de pele e espinhas

Isco de água de cozer bacalhau com restos de pele e espinhas

Esta semana fazemos a experiência com sumo de groselha. É doce, tem aroma forte e por isso, esperamos que atraia muitas moscas. Bastam uns dias para confirmar a eficácia.

Isco de groselha

Isco de groselha

É certo que o pomar fica estranho com tantas garrafas penduradas, mas é por uma boa causa.

Será necessário reabastacer as garrafas com alguma frequência porque o isco evapora-se facilmente com o calor-

Alguma desta fruta será transformada na maçã seca da Horta do Sol.

Maçã desidratada

Maçã desidratada

Publicado em Terreno | Etiquetas , | Publicar um comentário

Dias de chuva

Nos dias de chuva não se faz nada na horta, a não ser vê-la crescer.

A chuva miúda que tem caído é a ideal para as plantas. Rega, não encharca e não destroi nada.

As couves, as cebolas e alhos francês adoram esta chuva. Olhar para elas depois de alguns dias de chuva, é como se não as víssemos há muito tempo, tão crescidas estão.

É interessante passear pela horta e perceber as diferentes tonalidades de verde, roxo e azul.

Couve roxa

Couve roxa

couvepenca

Couve penca

Alho francês

Alho francês

Beterraba

Beterraba

Dentro da estufa crescem as sementeiras em tabuleiro, e cá fora já foram semeadas as cenouras, beterrabas, rabanetes e espinafres.

couveflorroxa

Couve flor roxa a germinar em tabuleiro, no interior da estufa

A sementeira de fita

Para as cenouras, beterrabas, rabanetes e espinafres, usamos a técnica da fita improvisada.

Primeiro prepara-se a terra, previamente estrumada, deixando-a fofa. A seguir, faz-se um pequeno rego, não mais do que 2 cm de profundidade. Praticamente basta afastar um pouco de terra e já temos o rego necessário. Com um regador fininho, rega-se o rego. A seguir coloca-se um tira de papel higiénico branco, cortado a meio, longitudinalmente. O comprimento depende do comprimento do rego. A largura corresponde a metade da largura do papel higiénico.

Colocamos o papel no rego, com cuidado. Este deve aderir de imediato já que o rego foi molhado previamente. Deve ser colocado com cuidado pois não dá para recolocar porque o papel se defaz se o tentarmos remover. Deitamos algumas sementes, 4 ou 5, se for cenoura, em cada ponto onde queremos que nasça uma cenoura e, cerca de 15 cm mais à frente, deitamos mais 4 ou 5 sementes. Desta forma ficam no local exato onde queremos que nasçam. Mais tarde, só temos que retirar os pés que nascerem em excesso, das 4 ou 5 sementes que deixamos.

semearcenouracomfita

Depois de colocadas as sementes, colocamos por cima a outra metade do papel higiénico, que também adere bem, devido à humidade. Desta forma, garantimos que as sementes não se vão espalhar antes de germinar, com as regas ou chuva. Como o papel se defaz muito facilmente, as sementes não deverão encontrar problemas para emergirem.

Usamos a mesma técnica para os espinafres, rabanetes e beterrabas, Vamos aguardar pelos resultados, pois não se trata ainda de uma técnica comprovada.

Publicado em Hortículas | Etiquetas , , , , , | Publicar um comentário

Atravessamos o inverno

Com pouca chuva, muito sol e geadas, atravessamos este inverno. Ainda falta mais de um mês para chegar  a primavera, mas a saudade do calor já é muita.

Também as plantas sentem o inverno e crescem lentamente.

Vamos dar uma volta pela horta para ver como vão as coisas. As pencas estão maiores, mas ainda lhes falta muita para irem para o tacho!

Pencas

Pencas

Já a couve roxa cresce mais lentamente, mas resiste e sem pressas.

Couve roxa

Couve roxa

Ali ao lado, o alho desenvolve-se bem, melhor que o cebolo. O alho francês  já engrossou e , apesar de parecer pequeno, já está longe das agulhas que plantamos. Nesta fase ainda parecem todos iguais, mas não são!

cebolo

Alho

Cebolo

Cebolo

Alho francês

Alho francês

As primeiras favas já começam a dar flor, apesar de ainda terem apenas 30 ou 40 cm de altura.

Favas

Favas

Finalmente as ervilhas. Semeadas em diferenets fases, as primeiras estão a desenvolver-se bem.

Ervilhas de greiro

Ervilhas de greiro

Entretanto há alfaces a crescer na estufa. Os tabuleiros de sementeiras também já estão quase prontos. Já semeamos os tomates, pimentos e muitas outras hortaliças para começar a plantar em abril ou maio.

Vamos aguardar mais uma ou duas semanas para poder semear, ao ar livre, as beterrabas, cenouras e rabanetes.

hortalicas

Um jardim colorido!

Publicado em Hortículas | Etiquetas , , , | Publicar um comentário

São favas contadas

Finalmente chegou o frio. Pois é, há muitas plantas que gostam do frio e das geadas. Entre elas, estão os vários tipos de couve.

Não há nada como uma boa geada para deixar as pencas viçosas e tenras.

penca

Têm crescido

Já a couve roxa, pouco ou nada desenvolveu. Não gosta tanto do frio.

couveroxa1

O alho gosta bem do frio. E já está todo cá fora. Dizem os antigos que, pelo Natal, já o alho se deve ver. O que demora mais a germinar, são as favas e as ervilhas.  As favas já romperam na semana passada e as ervilhas, apenas esta semana.

Já foram semeados vários canteiros com favas.

As favas demoraram cerca de duas semanas a germinar e mais duas para começarem a mostrar folhas mais verdes e mais fortes.

Este canteiro foi semeado com espaçamentos de 15cm, aproximadamente.

fava3

Depois de fazer os buracos é só meter a fava, que deve ficar a cerca de 5cm de profundidade. Tapar com terra,  usando um ancinho e regar. Depois é só esperar.

Duas semanas mais tarde, já a fava se reconhece com facilidade.

fava1

Mais duas semanas e já se nota a diferença.

fava2

As favas não requerem grandes cuidados. Em princípio, a Natureza trata de as regar. Não necessitam de ser estacadas porque não crescem mais do que um metro. Se houver muita chuva, podem vergar, principalmente se já tiverem favas a nascer.

Numa fase mais avançada, pode aparecer um piolho preto, nas folhas novas, que são mais tenras ou nas flores. Nessa altura, se as favas já estiverem bem desenvolvidas, podem-se cortar as pontas que estiverem mais afetadas. Se ainda for cedo, o melhor será pulverizar com uma solução de sabão azul, várias vezes, até desaparecerem.

A solução não deve ser muito forte, caso contrário, pode queimar a planta. Basta deixar um pouco de sabão azul a dissolver em água quente (é mais rápido) e mexer até desfazer o sabão. A solução não deve ficar pastosa, deve ficar líquida. Depois deve coar antes de a passar para o pulverizador, para que as pequenas particulas de sabão não entupam o pulverizador. Pulverize de três em três dias até desaparecerem os piolhos.

Aspeto de uma planta atacada com o piolho negro

Aspeto de uma planta atacada com o piolho negro

E assim vai a Horta do Sol!

Publicado em Hortículas | Etiquetas , | 3 Comentários

Quem quer bom ervilhal semeia antes do Natal

Este fim de semana deu-se mais um avanço nas hortinhas. Ainda não se vê grande coisa porque ainda não nasceram as sementeiras, por isso parece tudo muito vazio. Mas a terra já está repleta de sementes à espera do momento certo para germinarem.

As pencas já se notam, mas o alho francês mal se dá por ele.

As pencas já se notam, mas o alho francês mal se dá por ele.

Entretanto, plantamos o cebolo, chamado de temporã ou “cebolo de cedo”. Esta cebola será colhida na primavera. Planta-se o suficiente para durar até ao verão, altura em que colhemos o cebolo de verão.

Plantamos duas vezes o cebolo. A primeira é agora no outono, para colher na primavera. A segunda é plantada na primavera e colhe-se no verão. É este último que fica para o inverno. Normalmente “encabamos” e penduramos em lugar seco.

O cebolo

O cebolo

Já tardava a sementeira das ervilhas, por isso hoje era uma prioridade. Semeamos 2 canteiros de 5m, duas filas em cada. Dará para 40 pés, cada canteiro. Falta saber quanto irão produzir os 80 pés de ervilhas. A ideia é produzir para comer fresco e também congelar.

Quem quer bom ervilhal semeia antes do Natal

ervilhas

Uma ou duas sementes em cada buraco a cerca de 5cm de profundidade

Ainda faltam as ervilhas de quebrar. Cada coisa de cada vez, que isto de andar a semear e plantar tem que ser feito com vagar.

Como ainda havia algumas pencas, plantamos mais algumas. Junto às pencas, plantamos couves roxas. Como acontece com a maioria das couves, teremos que esperar 3 a 4 meses para as começar a comer.

Couve Roxa

Couve Roxa

Aproveitamos e semamos mais alhos. Estes são da plantação do ano anterior. Estavam pendurados na cozinha mas já estavam a grelar. Estavam mesmo a pedir para ir para a terra. E foram.

As duas hortinhas, a verde e a laranja, estão agora assim:

hortinhas2

Ainda há espaço para ocupar. Vamos aguardar mais tempo, que agora vem dezembro e não é tempo de semear.

E assim vão as Hortinhas do Sol

E assim vão as Hortinhas do Sol

Publicado em Hortículas, Terreno | Etiquetas , , , | Publicar um comentário

As hortinhas

A agricultura depende muito do clima. Já estamos quase a terminar novembro e já deveríamos ter as hortas de inverno plantadas e semeadas. Mas a chuva não tem parado.

Dias e dias de chuva, em grandes quantidades deixaram a terra pesada, sem condições de ser trabalhada. Apesar disso, aproveitando a pausa que a chuva deu ontem, hoje começamos os trabalhos.

Canteiros das hortas

Canteiros das hortas

As duas primeiras hortas já estão a receber plantas.

Das seis hortas que vamos plantar, quatro terão 20m2 cada, e duas terão 30m2. Todas as hortas são feitas com canteiros de 5m por 1m, e caminhos entre canteiros de 0,5m.

hortinhas1

Já tinham sido preparados quatro canteiros, dois para cada uma de duas hortas. Cada canteiro recebeu restos de corte de relva, praticamente decompostos, estrume de cabra seco e cinzas. Todas as semanas sai um saco de cinzas da lareira lá de casa, que vem alimentar as hortas.

Na horta laranja ficaram:

  • 25 favas (1 m2)
  • 54 alhos (1,5 m2)
  • 8 couves penca (2 m2)
  • 18 alhos francês (0,5 m2)

Na horta verde ficaram:

  • 16 alhos francês (0,5 m2) -> falta plantar mais 2 pés para completar o quadrado
  • 54 alhos (1,5 m2)
  • 8 couves penca (2 m2)
  • 25 favas (1 m2)

A seguir, iremos plantar o cebolo, que se irá colher no inicio da primavera. Mais daqui a algum tempo, semeiam-se as ervilhas de quebrar e as ervilhas redondas, também para colher na primavera. São os mimos da primavera.

WP_20141122_13_24_29_Pro

Pencas e Alho Francê

Pencas com cinza à volta

Pencas com cinza à volta

E assim vão as nossas hortinhas.

Publicado em Hortículas | Etiquetas , , | Publicar um comentário

O outono bate-nos à porta

Inevitavelmente, ano após ano, o verão vai-se e dá lugar ao outono. Apesar do verão ter sido muito frio e húmido,o outono vem na mesma na altura do costume, na que tem que vir.

botas

Nesta fase cruzam-se as coisas todas na horta, uns a vir e outros a ir.

As curgetes teimam em resistir e dão fruto até ao último dia. Cruzam-se com os diospiros que já caem da árvore, de tão maduros.

curgetes

Os pimentos continuam como se nada se passasse. Frutos e mais frutos e continuam a florir. Cruzam-se com os novos canteiros que se preparam para as sementeiras de inverno.

pimentoss

Na estufa, ignorando o que se passa lá fora, crescem quatro tomateiros cherry, que já florescem. Veremos qual o sabor que daqui resulta. As cores serão surpresa, já que foram semeados negros, rosa, amarelos, brancos, verdes e laranjas e apenas quatro ficaram para a experiência.

tomates

 

Mas os trabalhos na horta não param. É necessário começar as sementeiras de inverno.

Neste espaço vão crescer 6 hortas. Para já uma pequena horta está pronta para ser ocupada. Uma pequena horta, com quatro canteiros, que aguardam pelas favas, alhos e cebola. As couves  e as alfaces também lá estarão.  Ainda haverá espaço para os rabanetes, o alho francês e algumas beterrabas. E não poderemos esquecer das ervilhas!

Caberá tudo nesta horta?

canteiros

 

Publicado em Hortículas, Terreno | Etiquetas | Publicar um comentário

O dia das aromáticas

Casa nova, jardim de novo. Hoje foi o dia de recomeçar o jardim de aromáticas.

Agora temos mais espaço e, por isso, é necessário planear bem. Um das coisas que aprendemos é a não nos iludirmos com o tamanho das pequenas plantas que trazemos de um viveiro. A maior parte delas, irá crescer mais do que poderíamos imaginar. É necessário deixar espaço entre elas, para que possam crescer à vontade.

No inicio parece muito vazio, mas irão crescer, ladeando o passeio, na companhia das árvores de fruto.

Imagem

Passeio das Aromáticas

Sálvias, Santolinas e Mentas, são algumas das novas residentes.

Santolina Verde

Santolina Verde

Sálvia Tricolor

Sálvia Tricolor

Segurelha

Segurelha

Hortelã da Ribeira

Hortelã da Ribeira

Arruda

Arruda

Manjericão

Manjericão

Lúcia lima

Lúcia lima

Para começar, já podemos encontrar: sálvia verde, sálvia tricolor, sálvia icterina, sálvia roxa, menta laranja, menta chocolate, hortelão da ribeira, hortelã marroquina, poejo, segurelha, manjericão, arruda, lúcia-lima, incenso, oregãos, tomilho, tomilho rasteiro, santolina, santolina verde, açafrão e estragão.

Faltam muitas outras, mas com o tempo lá chegarão.

 

 

Publicado em Aromáticas | Etiquetas , | Publicar um comentário

A azáfama da primavera

Finalmente o bom tempo. Mas a primavera traz muitas outras coisas mais.

Como vai chovendo de vez em quando e o sol aquece o dia, as ervas crescem a uma velocidade estonteante. Cortamos hoje e amanhã já lá estão outras à nossa espera. Mas não são só ervas, as árvores de fruto estão todas em flor, as árvores de folha caduca estão a dar folhas com toda a força. De repente, tudo é verde à nossa volta. As flores silvestres explodem por todo o lado.

Campo lavrado

Campo lavrado

Mas não é tudo. Começam a ouvir-se tratores a trabalhar todo o dia. Os campos aparecem lavrados. Em cada casa se planta o cebolo e se prepara a terra para o milho. As hortas começam a ser limpas, para receberam os tomates, os pimentos e as alfaces. Os carreiros de feijão já se começam a ver semeados. A batata, semeada no final do inverno, já está grande e começa a dar flor. As vinhas já rebentaram e nascem folhas todos os dias.

É a azáfama da primavera !

E por cá não é diferente.

As favas já têm as vagens a crescer bem. Em breve poderemos colher. Os alhos, semeados no inverno, estão grandes e quase prontos. O cebolo de inverno convive agora com o cebolo da primavera, que já plantamos.

Favas

Favas

DSCN4747

Cebolo

Plantamos também couves galegas, pencas, repolho, alho francês e alfaces variadas.

Entretanto, a estufa crescem alfaces e feijão verde rasteiro. Fazem-se novas sementeiras de alface, para transplantar daqui a algumas semanas.

Alfaces

Alfaces

Feijão verde rasteiro

Feijão verde rasteiro

DSCN4743

Sementeira de Alfaces

Os tomates, pimentos, pepinos, curgetes, beringelas e melões, criam-se na estufa, à espera que o tempo quente permita a plantação no exterior. São plantas que requerem calor.

Por tudo isto, é bom viver no campo!

Macieira em flor

Macieira em flor

Publicado em Terreno | Etiquetas | Publicar um comentário

O tomate seco

O tomate seco é considerado uma iguaria. Não é ainda muito habitual na nossa cozinha, mas vai tendo cada vez mais adeptos.
Em 2013 começamos a nossa produção experimental e em 2014 iremos produzir para venda.

Nesta foto podemos ver alguns dos tomates cereja secos. Desde os amarelos até aos negros. Uns pequenos bombons.

image

Dependendo das condições atmosféricas, durante os meses de produção de tomate, poderemos secar ao sol ou em desidratadores. Tanto um método como outro, produzem bom tomate seco. Na verdade, a qualidade depende do tomate, da sua frescura, do seu sabor e textura. E isso é coisa que não falta aos tomates da Horta do Sol.

O tomate negro fatiado revelou-se uma delícia..

image

À simplicidade  do tomate seco, podemos adicionar uma gota de limão, um pouco de sal ou ainda ervas aromaticas, obtendo resultados diferentes. O limite é a imaginação.

Não deixe de provar o tomate seco.
Iremos disponibilizar alguma receitas para o inspirar. Se já tiver as suas receitas e quiser partilhar conosco, envie-nos e publicaremos aqui.

Publicado em Conservas, Tomates | Etiquetas | Publicar um comentário